Salmo 23

Baixar o arquivo para Word

MENSAGEM: Salmo 23.

Pr. Jandro Ferreira

I. O RELACIONAMENTO COM DEUS (vs.1).

“O Senhor é o meu pastor…”

No hebraico: “se o Senhor é o meu pastor, nada me faltará”. Mostrando que se há um relacionamento com Deus, então está é base para que Ele cuide de sua vida.

Pela primeira vez em toda a bíblia Deus é comparado ao pastor e Davi se posiciona como a ovelha que está sendo cuidada por Deus nas diversas áreas de sua vida física, espiritual e emocional. Com essa declaração, Davi aproxima a pessoa de Deus do seu povo o mais perto e íntimo possível, mostrando assim o relacionamento com Deus no nível pessoal e não apenas formal, ou seja, como alguém religiosamente distante. E creio que não haveria pessoa melhor pra falar de um relacionamento assim com Deus, se não Davi, porque ele foi pastor e agora é ovelha. Ele sabia tudo sobre esse relacionamento, porque como pastor defendeu o seu rebanho contra um urso e um leão, e de vários outros ataques, e como pastor, sabia cuidar como ninguém de seu rebanho, dando alimento bom, conduzindo as ovelhas para lugares seguros e de águas tranqüilas quando percebia o seu cansaço e desgaste ao longo da jornada.

Como ovelha, Davi também sabia como era ser cuidado, ou melhor, apascentado por Deus, pois em varias vezes em sua vida, pelos vales da sombra da morte que passou Deus o amparou e salvou como o verdadeiro pastor faz com suas ovelhas. O seu relacionamento com Deus demonstrava isso. Davi tinha autoridade para falar sobre estes dois ângulos existentes neste relacionamento, ou seja, o pastor e a ovelha e a ovelha e o pastor.

Aplicação do principio:

Esse cuidado que Davi estava expressando de Deus em sua vida era fruto do relacionamento que ele tinha com SENHOR. Por isso, se o Senhor é o seu pastor nada lhe faltará.

O Senhor é realmente o seu pastor?

Você tem andando de acordo com o seu pastoreio?

Você não pode se declarar uma ovelha do senhor e deixar seus sentimentos e vontades pastorear sua vida.

Quando o Senhor é o seu pastor, então nada lhe faltara, inclusive sua disciplina e repreensão e não apenas as suas bênçãos.

I. O PASTOREIO DE DEUS EM SUA VIDA (vs.2-4).

Nestes versos 2-4 é apresentado como Deus cuida de suas ovelhas em vários momentos de suas vidas. Este é o pastoreio diário de Deus sobre a vida de suas ovelhas. E como pastor, Ele:

ALIMENTA E SACIA A SEDE DE SUAS OVELHAS.

“… Pastos verdejantes…” “… águas de descanso…”  

Deus alimenta espiritualmente suas ovelhas com a sua Palavra (Mt. 4:4), como também fisicamente com sua provisão (Sl. 37:25; 127:2).

RESTAURA E RENOVA AS FORÇAS DE SUAS OVELHAS.

“… Refrigera-me a alma…”.

A palavra refrigerar tem o sentido aqui de restaurar ou renovar. Mostrando como Deus também cuida de seus filhos na restauração de suas vidas.

DIREÇÃO EM SEU CAMINHO.

 “… e guia-me pela vereda da justiça…”.  

No seu pastoreio, Deus é sensível a grande jornada que suas ovelhas fazem no caminho que Ele escolheu para elas seguirem, como pastor cuidadoso que Deus é não leva suas ovelhas a lugares sem propósito, mas a lugares onde elas poderiam descansar e se refrigerar do sol escaldante do dia. As veredas da justiça é caminho que o crente percorre, em sua jornada de vida espiritual.

Restauração é uma palavra que se aplica a algo que está quebrado, como muitas vezes o crente fica por desobedecer a Deus, então o pastor vai lá e junta os cacos do que sobrou e põe você de volta nas veredas da Sua justiça.

ELE PROTEGE.

“… Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte…” (porque tu estas comigo).

Ainda que, é uma possibilidade e não uma certeza.

O QUE É O VALE DA SOBRA DA MORTE?

É todo e qualquer ambiente perigosamente ameaçador.

A extensão do relacionamento cuidadoso iniciado no verso primeiro vai até o vale da sombra da morte para acompanhar você. Veja bem, Deus não tirou o vale da sombra da morte de sua vida, mas entra lá com você. Deus não abandonou você quando os perigos se aproximam como muitos crentes pensam.

ELE DISCIPLINA.

“… O teu bordão e o teu cajado me consolam…”  

Duas coisas são usadas para trazer consolo e direção para as ovelhas de Deus, que são o bordão e o cajado. Tanto um como o outro eram feitos de pedaços de pau, mas com finalidades diferentes.

O BORDÃO: Este estava preso a cintura do pastor e servia para guiar a ovelha, como também para discipliná-la quando ela se desviava do rebanho. Quando uma ovelha se desviava do rebanho o pastor logo ia atrás dela e quando o pastor há encontrava ele quebrava a pata da ovelha com a sua vara e a colocava em seu colo e cuidava dela até ela ficar sarada e poder andar em comunhão com as outras. Depois disso, ela nunca mais se desviava por outro caminho.

Aplicação do principio: Assim também Deus trata você, quando você sai fora de seu caminho e sua palavra, ele quebra você, mas coloca você em seu colo e cuida de você até que você fique sarado e nunca mais saia de sua comunhão.

O CAJADO:

Era usado em diversas situações, como para defender e direcionar as ovelhas de ataques de lobos e outros animais (como o urso e o leão usado por Davi). Naquele tempo havia uma espécie de lobos muito peludos que ao anoitecer, quando pastor estava colocando as ovelhas no aprisco, eles se introduziam entre as ovelhas para depois matá-las, e o pastor usava o bordão para dar uma pequena pancada na cabeça das ovelhas à medida que elas iam entrando no aprisco, uma por uma, antão quando ele acertava o lobo, este avançava no pastor e ele com o seu bordão dispersavam os lobos.

O cajado do Senhor é a sua palavra, que tanto nos defende como também nos direciona em momentos difíceis de nossa vida.

III. A COMUNHÃO COM DEUS (5-6).

Aqui temos três elementos que apontam para uma vida de comunhão com Deus, pois:

“Prepara-me uma mesa na presença dos meus adversários” (AP. 3:20)

Eu creio que estes inimigos aqui são as pessoas que formavam um ambiente ameaçador ou de morte, que Davi chamou de vale da sombra da morte, pois, todos os inimigos de Davi queriam a sua morte e ruína, e o vale em alguns lugares da bíblia, como o vale de Josafá, eram lugares de guerras, armadilhas, medo e mortes.

Então quando Davi pediu para fazer um banquete na presença de seus adversários, ou seja, aqueles que compunham o vale da sombra da morte, esta situação não é de deboche contra seus inimigos, mas sim transmitir a segurança e tranqüilidade que Deus dá aos seus filhos mesmo em meio os perigos que o vale oferece.

“O meu cálice transborda” (Ap.3:20).

Unges a minha cabeça com óleo” (5).

A unção esta ligada a benção.

Aplicação do ensino:

Estes princípios de pastoreio são aplicáveis tanto a vida cristã, como também para o casamento. O homem casado deve ser o pastor de sua esposa e filhos. Deus deu a vocês homens esta responsabilidade. O pastor é apenas um cooperador seu, para pastoreio de sua família. A você que é homem solteiro este é o padrão para você seguir, se quiser casar e ter uma família, caso não, também este é o padrão para a sua vida espiritual. Atenção mulheres, não queira homens para casar que não queiram pastorear você. Se você ainda não tem sido o pastor de sua família, ou seja, não cuidado de sua família, espiritualmente, eu gostaria de convocar os homens, solteiros e casados a se apresentar diante de Deus e da igreja a serem pastores de suas famílias, e aos jovens, de suas futuras famílias.

Deixe seu comentário ou dúvida

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s