Manual de Finanças – Parte V – Investimento Eterno

Áudio da mensagem

Mensagem comentada

Roteiro para o encontro de célula

Revisão de Princípios básicos

  • Todas as coisas são propriedade de Deus, para o bem do homem e para a glória de Deus.
  • Somos administradores que não amam estas coisas, mas cuidam delas fielmente.
  • Por isso estamos contentes (satisfeitos) com o que temos para administrar.
  • Uma restauração de fidelidade depende de temor a Deus e desapego material.

Revisão de Tarefas

  • Um caderno de finanças que contenha dívidas vencidas e a vencer, renda e despesa mensal.
  • Retirar de suas despesas mensais o que Deus não autorizou.
  • Definir um orçamento mensal
  • Definir um plano de restauração junto com um discipulador capacitado.

Introdução

“Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.” – Mateus 6.33

1)                     O cuidado dos necessitados da família de Deus

  • O estrangeiro, viúva e órfão eram sustentados com dízimos (Dt. 14.28-29).

28Ao final de cada três anos, tragam todos os dízimos da colheita do terceiro ano e armazene-os em sua própria cidade, 29para que os levitas, que não possuem propriedade nem herança, e os estrangeiros, os órfãos e as viúvas que vivem na sua cidade venham comer e saciar-se, e para que o Senhor, o seu Deus, o abençoe em todo o trabalho das suas mãos.”

  • A esmolas ensinadas por Jesus, eram doações generosas (Lucas 12.33; Atos 24.17).

“Vendam o que têm e dêem esmolas. Façam para vocês bolsas que não se gastem com o tempo, um tesouro nos céus que não se acabe, onde ladrão algum chega perto e nenhuma traça destrói.” (Lc. 12.33)

“Depois de estar ausente por vários anos, vim a Jerusalém para trazer esmolas ao meu povo e apresentar ofertas.” (At. 24.17)

  • A igreja primitiva era responsável pelo cuidado dos necessitados. (Atos 6.2; I Tm. 5.9-10).

“Por isso os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: “Não é certo negligenciarmos o ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas.”

9Nenhuma mulher deve ser inscrita na lista de viúvas, a não ser que tenha mais de sessenta anos de idade, tenha sido fiel a seu marido 10e seja bem conhecida por suas boas obras, tais como criar filhos, ser hospitaleira, lavar os pés dos santos, socorrer os atribulados e dedicar-se a todo tipo de boa obra.”

2)          O sustento de líderes espirituais

  • Deus estabeleceu que os dízimos seriam para o levita (Números 18.21).

“Dou aos levitas todos os dízimos em Israel como retribuição pelo trabalho que fazem ao servirem na Tenda do Encontro.”

  • Os enviados de Jesus deveriam viver do que fosse oferecido na casa onde fossem recebidos.

“Fiquem naquela casa, e comam e bebam o que lhes derem, pois o trabalhador merece o seu salário. Não fiquem mudando de casa em casa.”- (Lc. 10.7)

  • A igreja primitiva cuidava do sustento de pessoas que se dedicavam a liderar a igreja (I Cor. 9.11; I Tim. 5. 17-18)

11Se entre vocês semeamos coisas espirituais, seria demais colhermos de vocês coisas materiais?

17Os presbíteros que lideram bem a igreja são dignos de dupla honra, especialmente aqueles cujo trabalho é a pregação e o ensino, 18pois a Escritura diz: “Não amordace o boi enquanto está debulhando o cereal”, e “o trabalhador merece o seu salário”.

 

 

3)          Os dízimos e ofertas

  • A ideia de ofertar parte do que tem recebido de Deus em adoração vem do início. (Gn. 4.3-4).

3Passado algum tempo, Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. 4Abel, por sua vez, trouxe as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho.”

  • Deus determinou o dízimo para Israel como culto. (Lev. 27.30,32).

“Todos os dízimos da terra, seja dos cereais, seja das frutas das árvores, pertencem ao Senhor; são consagrados ao Senhor.” (…) “O dízimo dos seus rebanhos, um de cada dez animais que passem debaixo da vara do pastor, será consagrado ao Senhor

  • Para Jesus o valor da oferta não está na quantidade, mas na proporção ao que ganha

“E disse: “Afirmo-lhes que esta viúva pobre colocou mais do que todos os outros.” – (Lc. 21.3)

 

  • A igreja primitiva seguia o princípio de proporcionalidade (I Cor. 16.2; II Cor. 8.12)

“No primeiro dia da semana, cada um de vocês separe uma quantia, de acordo com a sua renda, reservando-a para que não seja preciso fazer coletas quando eu chegar.”

“Porque, se há prontidão, a contribuição é aceitável de acordo com aquilo que alguém tem, e não de acordo com o que não tem.”

4)                     O Coração de quem investe no Reino (II Co. 8-9)

                Ele é moldado pela graça de Deus (8.1-4; At. 4.32).

“Da multidão dos que creram, uma era a mente e um o coração. Ninguém considerava unicamente sua coisa alguma que possuísse, mas compartilhavam tudo o que tinham.”

 

 

        Ele entrega seus recursos, porque antes entregou-se a si mesmo (8.5; Marcos 10.21)

“Jesus olhou para ele e o amou. “Falta-lhe uma coisa”, disse ele. “Vá, venda tudo o que você possui e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Depois, venha e siga-me”.”

                Investe com sinceridade de coração (8.8)

“Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas.” Mt. 23.23

5Mas vocês afirmam que se alguém disser a seu pai ou a sua mãe: ‘Qualquer ajuda que vocês poderiam receber de mim é uma oferta dedicada a Deus’, 6ele não é obrigado a ‘honrar seu pai’ dessa forma. Assim vocês anulam a palavra de Deus por causa da tradição de vocês. 7Hipócritas! Bem profetizou Isaías acerca de vocês, dizendo: 8‘Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.  Mt. 15.5-8

                  O coração generoso investe por propósito (9.2)

 

Conclusão

O investimento no Reino…

  • .. gera prosperidade para mais generosidade
  • … é uma estratégia de Deus para aliviar os outros em suas tribulações
  • .. é uma atitude que glorifica o nome de Deus

10Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come, também lhes suprirá e aumentará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça. 11Vocês serão enriquecidos de todas as formas, para que possam ser generosos em qualquer ocasião e, por nosso intermédio, a sua generosidade resulte em ação de graças a Deus.” – II Coríntios 9.10-11

Para refletir…

  • Seu coração é generoso para investir no Reino de Deus?
  • O que você precisa mudar em relação a pensar no dízimo?
  • Como expressar sua preocupação com os que estão passando por necessidades?
  • Como expressar sua preocupação com as necessidades materiais do seu líder?

Para exercitar nesta semana

  • Converse com sua família e estabeleça um alvo de investimento mensal:
    • Dízimos e ofertas avulsas (sustento de obreiros/prédio)
    • Sustento de missionários
    • No socorro a pessoas necessitadas
  • Faça um plano para aos poucos alcançar este alvo
  • Memorize II Coríntios 9.11

Deixe seu comentário ou dúvida

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s