Filho Prodigo

TITULO: ARREPENDIMENTO GENUÍNO.
TEXTO: LUCAS 15.11-32.
TEMA: CONVERSÃO GENUINA.
Download Mensagem – Link

PROPOSITO.

INTRODUÇÃO.

  • O que motivou Jesus a contar estas parábolas?

(15.1-2). Os publicanos e os pecadores estavam se reunindo para ouvir Jesus, enquanto isso os escribas e fariseus criticavam Jesus por receber e comer com pecadores. Mas, em que estava baseada estas críticas dos fariseus e escribas? Imagino que tal critica tinha como base o sistema religioso deles, assim como o uso incorreto da lei. Estas parábolas mostram como os pertences perdidos são valiosos para quem os procura. É mostrado como eles são diligentes e dedicados na busca destes pertences. A festa que faziam mostrava muito bem qual o valor que os perdidos tinham.

  • Os elementos contidos nas parábolas.

(3-10; 11-32). Aqui temos as parábolas contadas por Jesus. O que elas têm em comum e de diferente? Em comum: Elas ilustram a perca e recuperação de algo; houve festa em todas as três; em todas as três também é mencionado que UM é perdido. Havia 100 ovelhas, mas uma se perdeu; havia 10 dracmas, mas uma se perdeu; havia dois filhos, mas, um se perdeu. Diferente:  O pai não foi atrás do filho, enquanto que nas outras duas o pastor foi atrás da ovelha perdida e a mulher procurou a dracma perdida. Aqui o filho é quem volta e não o pai que vai.

  • Para que possamos falar sobre arrependimento genuíno é necessário começar fazendo uma análise do coração do prodigo. Pois, o coração dele é um espelho do que é o coração humano.
  1. UM CORAÇÃO QUE PRECISA DE ARREPENDIMENTO GENUINO SOFRE COM O PECADO (11-16).

O coração do prodigo era pecaminoso.

Um coração que precisa de arrependimento genuíno é:

  1. CARACTERIZADO POR AUTOSUFICIENCIA (11-12).

Autossuficiência é caracterizada por uma vida de independência e que você não precisa de ninguém, inclusive de Deus. A autossuficiência do prodigo é percebida quando ele chega para seu pai e sem rodeios exige a sua parte da herança. “… pai quero a minha parte da herança…”. Está atitude mostrava o seu desejo de ter uma vida independente, desligada da família. Aqui acontece algo incomum, ou seja, o pai repartir a herança entre os filhos enquanto está vivo. Pedir a herança com o pai ainda em vida era quase o equivalente a pedir ou desejar que o pai morresse. O jovem prodigo é caracterizado como uma pessoa arrogante e sem temor de Deus, pois, o seu pedido e seu desejo egoísta provavam isso. Ele não estava preocupado com o que o pai ia sentir ou passar. Ele só estava preocupado com sigo mesmo. Ele não temia a Deus porque não honrava o pai.

  1. CARACTERIZADO POR OSTENTAR UMA VIDA QUE NÃO TINHA (13-15).

O jovem prodigo depois de receber sua herança passa a esbanjar uma vida provisória, pois na realidade ele não tinha a vida que andava esbanjando/ostentando, como vemos mais a frente na parábola quando ele fica pobre. Na almeida revista e atualizada, usa uma expressão diferente da NVI, ela usa vivendo dissolutamente, que quer dizer, de devassidão total. Ele era um libertino, que gostava da prostituição, era um glutão e beberrão (30). Ele gostava da vida boemia. Era alguém que não gostava de trabalhar e que queria uma vida fácil. A sua tentativa de viver uma vida feliz longe de sua casa e de seus pais, fracassou na primeira crise. Agora, sabe o que é mais triste nisso? É que nem mesmo a primeira crise levou este jovem a refletir sobre a sua situação diante de Deus. Pelo, contrario, a necessidade levou o jovem a usar a lógica para resolver os seus problemas pecaminosos. Para ele resolver a questão da falta de dinheiro era apenas uma questão de arrumar outro emprego, mesmo que para isso ele implicasse no sacrificar os seus valores. Sim, pois, para o judeu o porco era um animal impuro () e, portanto, jamais um judeu poderia tocar nele quanto mais viver no meio deles ou apascenta-los.  O que resolveria o problema do jovem não era outro emprego, mas era reconhecer que aquela situação vinha de Deus e que só Deus podia resolver. Não outro emprego que iria resolver a situação dele.

Aplicação: Muitas vezes o crente é assim irmãos. As coisas começam a dar errado na vida dele, as crises aparecem, ele começa a padecer necessidade e ele pensa que se ele conseguir arrumar um emprego e pagar as contas vai estar tudo certo. Ele está tão distante de Deus que é incapaz de perceber que a sua situação é resultado de rebeldia contra Deus e contra o seu próximo. O que você irmão precisa fazer é ir pro Senhor e perguntar para ele porque a sua situação está assim e não usar a lógica para resolver problemas espirituais.

  1. CARACTERIZADO POR NEGOCIAR SEUS VALORES (16).

Também vemos que em sua necessidade o jovem tem um desejo lícito por uma coisa abominável, ou imunda. Ele desejou encher o estomago com as vagens de alfarrobas. Mas, o que há de errado nisso? As alfarrobas eram ricas em vitaminas, tais como, Vita A, B1, B2 Niacina, ela também tem de 38% a 45% de açúcar a mais que o Cacau (pesquisa do instituto Dante Pazzanese de Cardiologia-SP). Em alguns lugares, quando a alfarroba secava, ela era triturada e o seu pó substituía o Cacau na fabricação de chocolates. O chocolate produzido pela alfarroba é mais saudável que o do cacau. Irmãos, o problema não era a alfarroba, mas onde ela estava e para o que ela estava sendo usada. Com o que ela estava misturada. Ela estava misturada com lama para os porcos e isso a contaminava ou tornava ele imunda perante os judeus. O que deve nos levara refletir: Você tem desejado coisas que o Senhor abomina?  Talvez, como o prodigo você está desejoso de coisas que Deus abomina, como Pornografia (1 Ts.4.3,7), Vaidade, desejo de Ficar Rico (1 Tm.6.10).  Se você está vivendo desejando estas coisas isso é um sinal do quanto você está vivendo uma vida longe de Deus, assim como este filho estava miseravelmente longe do seu pai e precisava voltar.

Aplicação: Orgulho, arrogância, ostentação são as marcas do coração do prodigo. O coração do prodigo é um modelo para nós do que é uma vida que quer viver longe de Deus. Ela mostra a miséria espiritual e moral que uma pessoa pode chegar vivendo longe de Deus. Ela busca auto independência, esbanja uma vida que não tem e está disposta a tudo, inclusive negociar seus valores, para se dar bem.

Irmãos, por mais que na casa do Pai, que é a igreja, tenha defeitos, dificuldades, aqui ainda é o melhor lugar do mundo para você viver. Não deixe a sedução pelos prazeres do mundo cegar seus olhos e lhe conduzir para uma vida longe dela e de Deus.

  1. UM CORAÇÃO NECESSITADO DE UM ARREPENDIMENTO GENUINO É TOCADO POR DEUS A MUDAR (17).

Talvez você reconheça que a situação do pródigo era bem complicada e até em um certo ponto sem jeito. Porém, o Senhor começa a entrar no processo. O texto diz que ele caiu em si: “… caindo em si…”.

Um coração que caiu em si é caracterizado por reconhecer a total miséria que sua vida se encontra e o que ela perdeu. Ele disse que os trabalhadores do pai dele têm comida de sobra, enquanto ele morre de fome. Ele estava reconhecendo que um empregado do seu pai vivia melhor do que ele. Ele agora estava dando valor a vida que tinha próximo do seu pai. Agora irmãos, ele só adquiriu está consciência por que Deus interferiu no processo e porque o pai não foi atrás dele. Se o pai tivesse ido atrás dele ele nunca teria adquirido está consciência da atitude dele.

Hoje muitos filhos decidem viver de forma rebelde longe de seus pais. Aí os pais quando sabem que o cidadão ou cidadã estão passando necessidade eles dão logo um jeito de aliviar a situação deles. Então o que acontece é que os pais sustentam a rebeldia do filho, por isso Deus não opera. Por isso ele demora vir. O pai desta parábola não foi atrás do seu filho, diferente da atitude do pastor da centésima ovelha e da mulher que perdeu a sua decima dracma. O pai estava esperando ele voltar. Quando o pecador começa a perceber que a sua vida poderia ser diferente da atual situação que está vivendo, isso o leva a desejar um arrependimento genuíno. Se ele não entender o que perdeu ele nunca vai voltar. Do mesmo modo com a disciplina na igreja.

Talvez o filho prodigo retrate a sua situação hoje. Mesmo vivendo no ambiente de igreja é possível que você esteja longe de Deus e precisa cair em si. Cair em si é reconhecer a sua total miséria espiritual, sim, sua extreme carência de Deus e o que perdeu. Perceber qual é a sua realidade e o que precisa ser feito. Enquanto o pecador não cair em si, ela nunca vai produzir um arrependimento genuíno, pois, os passos que o filho pródigo produziu partiram desta declaração.

Aplicação: Você tem todos os domingos ouvido a palavra de Deus aqui. Todos os dias recebe o MDD. Tem os encontros de células e parcerias. Tem aconselhamento bíblico. Então, eu pergunto, o que está faltando para você cair em si? Ou, por que você ainda não caiu em si, e continua vivendo longe de Deus?

  • UM CORAÇÃO ARREPENDIDO GENUINAMENTE TRAÇA UM PLANO DE MUDANÇA (18-20).

Quando o arrependimento genuíno começa?

Aqui começou quando ele caiu em si. O que isto significa? De acordo com o texto Cair em si é quando você consegue enxergar a vida miserável que você está vivendo e perceber a vida que perdeu e reconhecendo o seu valor. Significa que uma pessoa passou a reconhecer a sua atual situação, ou seja, em que estágio da vida ela se encontra. Mas também o arrependimento genuíno tem alguns passos.

Quais foram os passos tomados pelo prodigo que demonstram um arrependimento genuíno?

  1. Reconhecer que pecou“… pai pequei contra o céu e contra ti…”(18)

Temos aqui um eufemismo. Pecar contra o céu é o equivalente a pecar contra Deus. Reconhecer que pecou é o primeiro passo para uma mudança genuína. Enquanto o a pessoa não entender que é um pecador Deus não irá agir em sua vida, pois, Jesus veio para os pecadores. O pródigo reconheceu que havia pecado e isso era um golpe muito forte em seu orgulho, pois ele entendeu que tomou a decisão errada e que precisa voltar e se humilhar perante o seu pai. Ao reconhecer que pecou ele reconhece que pecou contra duas pessoas. Deus e seu pai. Do mesmo jeito que somos convocados a amar a Deus e ao próximo, de igual modo quando pecamos sempre contra Deus e contra alguém (Mt.22.37-40). Enquanto não houver reconhecimento do pecado a sua vida vai de mal a pior.

  1. CONFESSAR O PECADO“… já não sou digno de ser chamado teu filho, trata-me como um dos teus empregados…”. (19).

Temos aqui um prodigo quebrantado. Ele não negociou a sua volta. Ele não fez nenhuma exigência. Ele simplesmente confessou o seu pecado, ou seja, ele concordou com Deus que pecou. Em 1 João 1.9 diz: “ se confessarmos os nossos pecados Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”.

Davi Sl.32.1-3.

  1. ABANDONOU O PECADO. “A seguir, levantando-se foi para o seu pai…”. (20a).

O texto diz que ele se levantando foi para o seu pai. A sua vida pecaminosa o havia lançado ao chão. Ele estava necessitado, miserável, ninguém lhe dava nada. Nem dinheiro, nem comida, nem um teto, nem uma mão para ajudá-lo a se levantar de sua miséria. Me lembro agora daquele cântico que diz:

Quando Jesus estendeu a Sua mão
Quando Ele estendeu a Sua mão para mim
Eu era pobre e perdido, sem Deus, sem Jesus
Quando Ele estendeu Sua mão para mim”…(Matos Nascimento).

Em Pv. 28.13 diz: “ o que encobre a sua transgressão nunca prosperara, mas o que confessa e deixa alcançara misericórdia”.

O cristão que experimenta arrependimento genuíno ele rompe com a sua antiga maneira de viver, Paulo disse isso em Ef.4.21-23. Ele se levantou e foi.

  1. RESISTA A TENTAÇÃO E EXECUTE O PLANO DE MUDANÇA ATÉ O FIM. “ Estando ainda longe, seu pai o viu, e cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou”. (20b)

Assim como o filho planejou a sua saída de casa, agora ele precisa planejar a sua volta. Isso caracteriza o arrependimento genuíno. Você faz o caminho contrário ao que você estava indo, isso é conversão, isso é mudança de vida.

Aplicação: Nós acabamos de ver que uma pessoa que experimenta arrependimento genuíno traça um plano de mudança que inclui, Reconhecer que pecou, Confessar o pecado, Abandonar e não Ceder à tentação. Então eu pergunto.

Existe alguma coisa que você precisa reconhecer diante de Deus hoje?

Que pecados você precisa confessar hoje para Deus?

Que situação de vida você precisa abandonar?

Quais tentações você tem cedido?

  1. UM CORAÇÃO QUE BUSCA ARREPENDIMENTO GENUINO RECEBE GRAÇA E MISERICORDIA DE DEUS (21-24).

Na parábola o pai representa Deus, que está ansioso por perdoar o pecador e desejando a sua volta.

  • Roupa: destinada aos convidados de honra.
  • Anel: Um símbolo de autoridade.
  • Sandálias: significa a plena restauração da condição de filho, pois, as sandálias não eram utilizadas pelos escravos, apenas pelos homens livres.
  • Novilho cevado: guardado apenas para as mais especiais das ocasiões.

Ele estava perdido e foi achada, estava morto e reviveu.

O filho perdido foi achado e sua salvação ou encontro deve ser celebrado tal como foi quando encontrado a ovelha e a dracma perdidas. Isso ilustra a situação do homem sem Deus. Sem Deus o homem está perdido, e perdido aqui é sem salvação.

Aplicação: O homem não encontra a si mesmo, ele não pode se salvar sozinho.  O texto diz que ele foi achado. Deus é quem acha o pecador e o salva. E sua salvação é celebrada com festa no céu e na terra. A sua condição de filho é restaurada, pois, você é uma ovelha perdida que foi achada (Jo.10.27-28).

  1. UM CORAÇÃO QUE NÃO EXPERIMENTA O ARREPENDIMENTO GENUINO É PRECONCEITUOSO COM OS SALVOS (25-32).

Ele representa o preconceito, a crítica e a indiferença dos fariseus para com os pecadores arrependidos.  Ele não participou da festa porque a sua hipocrisia o impedia. Ele não se alegrava com a salvação de seu irmão. Isso era uma crítica dura ao coração duro dos fariseus que não ficavam felizes com a salvação de publicanos e pecadores.

Aplicação: Assim como os fariseus não estavam felizes ao ver Jesus na vida de publicanos e pecadores, também hoje alguns cristãos não ficam alegres quando certos pecadores se convertem. Qual seria a sua reação ao saber que um ex-presidiário, com tornozeleira eletrônica, fosse fazer parte de sua célula? Ou uma ex-prostituta, ou usuária de crack que acabou de aceitar Jesus?

CONCLUSÃO.

Aprendemos hoje à noite com a vida do prodigo quais são os resultados que umas vidas longe de Deus podem nos trazer. E como Deus graciosamente interfere em nossas vidas por meio de sua Palavra, nos movendo a um despertamento de nossa miséria espiritual e de nossa necessidade de arrependimento genuíno, para desfrutarmos de uma comunhão plena e intensa com Deus.

LIÇÕES PRÁTICAS.

Nesta semana:

  1. Em seu MDD, peça para Deus para mostrar em sua vida os pecados que Cristo quer mudar em você.
  2. Escreva em uma folha de papel os pecados que Ele mostrou a você.
  3. Depois estabeleça o seu planejamento de mudança, escrevendo como vai fazer para resolver sua situação com Deus.
  4. Peça a ajuda ao seu discipulador para colocar em pratica.
  5. Preste contas com ele de como foi a execução deste plano.