Filipenses 4.10-20

Material extra

• Paulo está na prisão de Roma, onde o Estado romano não providencia o suprimento para os prisioneiros. (Filipenses 1.13; 4.22)
• O apóstolo Paulo não era um pastor de igreja local. Era um missionário enviado pela igreja de Antioquia e que foi sustentado por várias igrejas.
• Este texto é oportuno para uma igreja que está falando de missões.

I – O sustento dos missionários (11-13)
• O sustento de ministros por meio de ofertas começa antes a organização religiosa de Israel (Gênesis 14.17-20).
• O dízimo se tornou mandamento em Israel (Levítico 27:30-33).
• A tribo de Levi se dedicaria ao Tabernáculo por isso não teria herança e receberiam os dízimos por suprimento (Números 18.23-24; Neemias 10.37).
• Os profetas eram sustentados por Deus usando recursos de terceiros (I Reis 17.9; 18.13; II Reis 4.8).
• Os discípulos nos tempos de Jesus eram supridos por ofertas e por hospedagens. (Mateus 10.10; Lucas 8.1-3; 9.3-4).
• Os apóstolos, já nos tempos da igreja, também eram sustentados da mesma forma. (Atos 16.14-15; II Coríntios 11.9).
Princípio: O Deus que não muda supre aqueles que vivem da Palavra e do evangelho através dos recursos que ele dá aos que o adoram.
• Quando o missionário tiver fartura precisa ficar atento à arrogância (v.11-12; Deuteronômio 8.12-14)
• Quanto o missionário tiver escassez precisa ficar contente com o que tem (vs.11-12,15; I Timóteo 6.6-8)
• Não há promessa de fartura, mas graça para suportar tudo (vs. 13)

II – O papel da igreja junto ao sustento dos missionários (vs. 14-19)
• Suprir é expressão de amor (v.14-16)
• Quando usamos de nossa conta para sustentar líderes, isso gera crédito na mão do Senhor (v.17; Deuteronômio 14.29; Provérbios 3.9-10; 11.24-25)
• Os próprios obreiros devem ser ofertantes fiéis (Números 18.26.32; Atos 20.34).
• Este crédito permite o suprimento de Deus, segundo sua riqueza em glória, em Cristo (v.19; Deuteronômio 8.17-18).

III – Sustentar missionários é um ato de adoração (v.18)
• O que diferencia as ofertas de Caim e Abel é a adoração. (Gênesis 4.3-5)
• Em Israel, o dízimo era entregue “na presença de Deus, no lugar de sua habitação”, com temor e alegria. (Deuteronômio 14.23,26; Neemias 12.44).
• Do ponto de vista divino, os recursos colocados no altar, “são uma oferta de aroma suave, um sacrifício aceitável e agradável a Deus”
• Um dos motivos pelo que Deus dá alguém com abundância é para que ele use isso como oferta que resulta em ações de graça (II Cor. 9.10-12).

CONCLUSÃO
• Nenhum missionário deve ficar ansioso com o seu sustento e nem servir por causa dele. Mas, sua alegria e gratidão pelo sustento são legítimos.
• Cada cristão deve agir com generosidade no sustento dos seus missionários.
• As contribuições missionárias são ofertas em adoração agradáveis a Deus que redundam em ricos suprimentos da parte de Deus.

O QUE VOCÊ DEVE FAZER?
• Pergunte ao Senhor quanto seria a contribuição que Ele deseja que você reverta aos missionários.
• Compartilhe com o seu discipulador suas dúvidas e o que achar que Deus está falando a você quanto a isso para que juntos possam discernir a vontade de Deus.
• Separe um Momento Diário com Deus para rever este ensino e meditar na prática dele.
• No MDD, peça ao Senhor que envie os recursos para esta contribuição até que Ele o responda.
• Memorize Filipenses 4.19

Anúncios